Jogo Real - Uma aventura inacabada

Posted 4 meses atrás in Entretenimento.

Eu já desenhei quadrinhos um dia...

Jogo Real - Uma aventura inacabada

Quando eu era mais novo, por volta dos 13/14 anos, comecei a desenhar uma historinha em quadrinhos. 

Essa historinha se chamava Jogo Real. 

Jogo Real era uma realidade um pouco à frente da realidade da época. 

A Nintendo, Microsoft e Sony se juntaram numa só empresa, abandonando o Kingball (sucessor do Gamecube), o Xbox 2 e o Playstation 3 e se unindo numa única empresa de games mundial onde Peter seria o dono. 

Peter era IGUALZINHO ao Maximilian Pegasus do Yu-Gi-oH! que era o anime que fazia sucesso na época. 

O que me inspirou a fazer Jogo Real foi os últimos episódios do anime onde Yugi e seus amigos iam pra um jogo de realidade virtual. 

Jogo Real seria inicialmente um Yu Gi Oh! mas ao invés dos duelistas (realistas) disputarem um jogo de cartas, lutariam alá estilo Dragon Ball/Cavaleiros do Zodíaco no jogo colocando capacetes e entrando no mundo virtual. 


Nova capa da edição 01, porque a primeira tinham estragado.

 

 

A idéia de Jogo Real era fazer apenas um torneio na ilha particular do Sr. Peter, tudo a ver com Yu Gi Oh! né kk, mas o legal da época, é que como eu desenhava muito na escola, entre as aulas ali na oitava série, eu colocava os meus amigos como personagens da historinha. 

Assim aos poucos os colegas de sala foram lendo e gostando, e eu fui desenhando mais e mais, e incluía cada vez mais gente como personagem. 

Acabou que as histórias eram tipo um all stars da sala kk 

E a galera adorava ler. 

Eu fazia uma edição por mês. 

A capa era sempre colorida. Dá pra ver que meu desenho não era muito bom, mas era o suficiente pra contar uma história. 

Como minha mente era criativa, bolar a história era muito mais rápido do que desenhar cada quadrinho, então pra eu não esquecer as idéias, eu desenhava rápido, diminuindo a qualidade kk 

O tempo foi passando e fiz 7 edições (a 7 parei na metade) e fiquei num hiato de pouco mais de 1 ano sem desenhar. 

Meus amigos sempre me cobravam pra continuar.




Capa da 7 que só lançou depois de muito tempo (tem a data ali)

 

 

 

 

Depois de voltar a fazer Jogo Real, eu já tinha crescido mais. Já estava mais maduro (com 15 anos, quase 16 anos) e queria fazer a história com mais qualidade. 

Terminei rapidamente a JR7 pra me livrar dela (por isso ficou um pouco menor) e comecei a fazer a JR8 com mais paciência e dedicação do que tive nas edições anteriores. Como resultado, houve um upgrade de desenho que não tinha antes (a capa da 7 eu só fiz quando fui lançar, já dava pra ver a melhora no desenho), além da 8 ser uma edição com mais páginas e com história melhor. 

A partir dessa edição eu já planejava a história à frente da história que eu fazia. Anotava idéias, meus amigos também me davam idéias do que fazer 

Eu já planejava mudar os rumos da história, então a partir dessa edição personagens começavam a ser introduzidos. Personagens criados por mim mesmo, com nomes originais e que seriam úteis mais a frente. 

Eu já planejava as outras JR que lançaria à frente. Mas os lançamentos não teriam o mesmo ritmo de 1 edição por mês. 

Todas as revistas eram desenhadas na lapiseira grafite 07 em folhas A4 dobradas ao meio e costuradas (sim, meu amigo Pedro costurava cada uma delas).

Capa da 8 com alguns borrões do tempo. As linhas eram em caneta porosa.

 

 

 

Antes de lançar a JR7 eu tinha feito uma edição especial, com um resumão da edição 1 a 6, ficha técnica dos personagens, tudo organizado, e a história de como tudo começou. 

Essa era a edição deluxe, feita à caneta, ENCADERNADA, coisa chique! 


O caso de amor com Jogo Real não durou muito. 

Depois de desenhar a edição 9 eu parei novamente. Outro hiato que levou tempo Desde a 8 eu não colocava mais o mês de referência de quando lançava a revista porque a 8 levou mais de um mes, a 9 que era menor levou mais tempo ainda. 

Depois de mais de ano (de novo) sem desenhar, no ensino médio decidi arregaçar as mangas e falei que só ia parar de desenhar Jogo Real quando acabasse! ò.ó 

As idéias sempre pipocavam, mas eu era muito (ainda sou) preguiçoso e não desenhava! 

Então decidi fazer diferente: Escrevi toda a história da edição 10 roteirizada, pra não esquecer nenhum detalhe e criar uma história melhor. Depois seria só desenhar a história pronta. 

Em resumo foi uma das melhores edições já feitas: Bem desenhada, bem estruturada, e todo mundo adorou, elogiando a evolução comparando a JR1 da JR10.


 

Capa da 10, mais dinâmica que as anteriores

 

 

 

Eu estava ansioso porque queria terminar a primeira saga logo. 

Basicamente Jogo Real teria 3 sagas: 

Saga do Torneio de Peter 
Saga Mundo Real 
Saga Titãs 

A primeira saga seria aquilo que criei e que era Jogo Real originalmente quando eu tinha 13/14 anos: um torneio onde todos os realistas (jogadores de Jogo Real) se reuniam e lutavam contra outros realistas e campeões mundiais. O vencedor seria o maior campeão de todos. 

A segunda seria quando todos fossem presos dentro de Jogo Real, fazendo com que todos tivessem uma nova vida dentro do jogo. 

A terceira seria o colapso do jogo, onde quatro titãs emergiam e teriam que ser derrotados para finalizar o jogo e libertar todos da ilha que estavam presos no Mundo Real. 

Felizmente finalizei a primeira saga, que terminou na edição 13 e, a partir da 14, começando a nova saga do Mundo Real. 

Infelizmente a saga morreu prematuramente. Eu tinha começado a desenhar a 15 quando fiquei de saco cheio de desenhar. 

Simplesmente abandonei tudo e meus amigos até hoje me cobram uma continuação. O mundo foi criado, mas nunca explorado por completo.

 

 

Capa da 15, agora no Photoshop

 

 

Os anos passaram. 

Eu sempre volto a pensar em Jogo Real em como seria se eu tivesse continuado com os quadrinhos naquela época. 

Sinto que perdi muito não fazendo com que tudo aquilo que borbulhava em minha mente saísse pra fora. 

Por várias vezes tentei voltar, mas como eu tinha desenvolvido um monstro na minha cabeça (a história planejava estava ENORME), simplesmente tive preguiça de desenvolver, principalmente desenhar tudo. 

Como sempre fiz tudo sozinho, acabei deixando de lado e muitas coisas nunca sairam da minha cabeça. 

Foi então que há alguns anos decidi dar um reboot na série. Começar de novo. Começar do zero, pra dar coerência ao que Jogo Real era no início e seguir pras outras sagas. Eu só nunca me decidi que gênero seguir. 

Então como desenhar está fora de questão (trabalhoso demais), decidi fazer a história como um livro. Talvez um dia saia realmente da cabeça e vá para o papel.

 

 

Uma das páginas da revistinha

40 Visualizações

Morando em Brazil